Bem vindos(as) ao nosso Blog!

Mais um desafio está lançado nesta nova etapa de nossa formação: o Blog.

O presente blog foi criado e idealizado pelas alunas Amanda Rocha e Carolina Ducatti. Unindo nossos conhecimentos com reflexão e comprometimento, nosso objetivo é sistematizar toda complexidade de nosso objeto de estudo. Os textos são elaborados por nós a partir de diálogos e troca de experiências, exceto o que tiver referências.

Visando maior integração entre os conteúdos das disciplinas decidimos que cada postagem representará um tema, e nelas iremos mesclar os assuntos propostos em aula.

Apreciem nossos textos, reflitam e comentem!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Resenhas

Quem Quer Ser Um Milionário

Boyle, Danny. Slumdog Milllionaire. Filme EUA/Inglaterra,2008. Drama 120 min.
Co-produção anglo Americana.
Jamal K. Malik (Dev Patel) é um jovem que trabalha servindo chá em uma empresa de telemarketing. Sua infância foi difícil, tendo que fugir da miséria e violência para conseguir chegar ao emprego atual. Um dia ele se inscreve no popular programa de TV "Quem Quer Ser um Milionário?". Inicialmente desacreditado, ele encontra em fatos de sua vida as respostas das perguntas feitas.O questionamento que faço desse filme é sobre a importância do conhecimento formal e também do informal.O conhecimento formal,também chamado acadêmico,é mais valorizado por possuir caráter científico o que em tese, o torna irrefutável.O conhecimento informal,às vezes posto em dúvida por não ter uma fonte palpável que o respalde,é chamado de senso-comum,é adquirido nas vivências de cada um,na história de vida,no conhecimento empírico e não pode ser desprezado,pois vem carregado de uma bagagem riquíssima que o valor das experiências trazem.Como Jamal,um rapaz pobre das favelas de Mumbai poderia ser capaz de responder tantas perguntas sem nunca ter tido acesso ao ensino formal?Pesava também o fato de a India ter em sua cultura o conflito segregador da sua estrutura religiosa-social de castas imutáveis,onde pobre morre pobre e rico morre rico,este rapaz se atreveu não só a demonstrar ter conhecimentos,mas também cometeu o insulto de tentar ser um novo rico,mudar sua condição,ganhando todos aqueles milhões do jogo.Foi acusado de trapaceiro,teve que contar todas as aventuras e tragédias de sua vida para provar sua inocência,desmentindo que só aprendemos na academia.Jamal aprendeu no percurso da sua vida muito mais do que seremos capazes de aprender em anos de academia.Isso é o legado de seu conhecimento informal que ninguém pode arrancar dele.
* texto de Amanda Rocha

O Leitor

DALDRY, Stephen. The Reader - 2008

Baseado no livro de Bernhard Schlink, com roteiro de David Hare, corresponde ao gênero drama e sua duração é de 2h 04min. A sinopse do filme assim o caracteriza:

Na Alemanha pós-2ª Guerra Mundial o adolescente Michael Berg (David Kross) se envolve, por acaso, com Hanna Schmitz (Kate Winslet), uma mulher que tem o dobro de sua idade. Apesar das diferenças de classe, os dois se apaixonam e vivem uma bonita história de amor. Até que um dia Hanna desaparece misteriosamente. Oito anos se passam e Berg, então um interessado estudante de Direito, se surpreende ao reencontrar seu passado de adolescente quando acompanhava um polêmico julgamento por crimes de guerra cometidos pelos nazistas.¹

Assistindo ao filme de Stephen Daldry nos deparamos com alguns conflitos morais. As diferenças cultural, de idade e classe econômica entre Hanna e Michael são apenas a ponta do iceberg. A misteriosa Hanna Schmitz nos faz refletir sobre até onde se é capaz de manter um segredo. Hanna, ao ser julgada por trabalhar na SS e permitir que 200 mulheres morressem queimadas em uma igreja, em suas oportunidades de defesa, não assume o fato de não reconhecer a complexidade do trabalho que executava. E, principalmente, não se permite negar sua participação na elaboração do termo de compromisso com a SS, tendo como motivo sua vergonha de não saber ler. Michael Berg, que acompanha o julgamento como estudante de direito, percebe que Hanna não sabia ler, o que explica muitas de suas atitudes e pode mudar o veredicto do juiz. Neste momento questionamos o quão errada ela poderia estar e qual seria a punição mais coerente? O professor de Berg, em uma de suas falas, afirma que “as sociedades pensam que funcionam por conceitos morais, mas não”. Considerando que, segundo a lei, Hanna deveria ser severamente punida pelo crime, por outro lado, se levarmos em conta sua falta de (in)formação, sua pena deveria ser menor. O fato é que nem mesmo Hanna se permite revelar seu mistério. Após dolorosos dias de reflexão, Berg toma sua decisão, não irá comprometer o segredo de Hanna e ela é condenada à prisão perpétua. Este conflito de responsabilidade moral em que Berg se envolveu prova que lei e justiça nem sempre são correspondentes. E que para se julgar um fato é necessário analisar todos os elementos envolvidos, minuciosamente. Concluímos que avaliar as relações humanas e ações por estes realizadas é uma questão muito complexa, que exige reflexão e compreensão das causas e consequências.

¹Sinopse do site: http://www.adorocinema.com/filmes/leitor

*texto de Carolina Ducatti

video

1 comentários:

SIMONE SILVA DORNELES disse...

Amanda e Carolina,
As reflexões sistematizadas por vocês neste espaço de socialização e produção de novos conhecimentos estão muito boas. Demonstram sínteses possíveis entre as diferentes disciplinas e revelam belas aprendizagens.
Vocês estão aplicando com clareza e objetividade a categoria de gênero nas análises compartilhadas.
Adorei a introdução sob o título Pedagogia Social.
Parabéns,

Postar um comentário